Necessita de Tudo, Até Livros

01 May 2019 19:36
Tags

Back to list of posts

<h1>Marketing M&eacute;dico: Como Preparar Uma Estrat&eacute;gia Nas M&iacute;dias sociais</h1>

<p>Se formos raciocinar em consumo estrito e tend&ecirc;ncias, quem sabe seja mais pr&aacute;tico adquirir o pr&oacute;ximo t&iacute;tulo de cabeceira on-line e receb&ecirc;-lo em resid&ecirc;ncia. Convenhamos, no entanto, que &eacute; enriquecedor (pra n&atilde;o discursar obrigat&oacute;rio) visitar uma livraria, em cada tempo e idade. Num tour despretensioso por uma megastore, &eacute; poss&iacute;vel degustar as obras de afei&ccedil;&atilde;o e conhecer novos autores, ouvir m&uacute;sica, papear com escritores, assistir a pe&ccedil;as teatrais, testar eletr&ocirc;nicos hi-tech e, de quebra, localizar os amigos no caf&eacute;.</p>

<p>Encerrado o passeio, levar meia d&uacute;zia de produtos pra moradia ter&aacute; sido decorr&ecirc;ncia. Dez milh&otilde;es ao ano, de acordo com pesquisa da consultoria GfK Brasil pra Agrega&ccedil;&atilde;o Nacional de Livrarias (ANL). Interessado &eacute; que, nos Estados unidos, este movimento &eacute; inverso. “Creio que estes espa&ccedil;os se tornaram pontos de fuga dentro dos shopping centers, e ao mesmo tempo, de descoberta e de encontro para muita gente.</p>

<p>Costumo percorrer todas as se&ccedil;&otilde;es, sentar-me numa poltrona e ler &agrave; desejo o que quiser. Filhas e netas v&ecirc;m comigo, &agrave;s vezes. E como conta. “Um territ&oacute;rio onde n&atilde;o tenha como me acomodar n&atilde;o me atrai”, pondera o DJ, designer e produtor cultural Arthur Amaral. Pesquisador de novos sons e apaixonado por vinis, ele &eacute; um dos muitos consumidores que se abst&ecirc;m do bate perna consumista em benef&iacute;cio do tempo livre pra cultuar a arte. “Passo muito tempo nas sess&otilde;es de discos e de livros de arte e design da Livraria Cultura. Use A Personalidade Da Marca Na sua Estrat&eacute;gia [Kit De Modelos] , ouvir, ler, sacar as novidades. Dez Dicas Para Ter Resultados R&aacute;pidos coisas legais s&atilde;o os pocket shows, as exposi&ccedil;&otilde;es e as palestras que as livrarias, de maneira geral, t&ecirc;m acolhido.</p>

social-media-1920-ss.jpg

<p>H&aacute; abertura para os artistas locais. Os eventos da Fnac e do Espa&ccedil;o Carlos Gomes, pela Saraiva do Iguatemi, s&atilde;o muito bons”, cita. Se o entusiasmo &agrave; Facebook Lucra Com Not&iacute;cias Falsas, Golpes E At&eacute; V&iacute;rus depender da &acirc;nsia por novidades tecnol&oacute;gicas como gadgets, TVs, objetos fotogr&aacute;ficos e telef&ocirc;nicos, notebooks, consoles e jogos, a Fnac do Parque D. Pedro Shopping costuma ser apontada pelos compradores como primeira op&ccedil;&atilde;o.</p>

<p>Os “appleman&iacute;acos”, ali&aacute;s, adoram a loja exclusiva que tem &ecirc;xito logo na entrada da livraria. H&aacute; sempre uma leva de geeks atr&aacute;s de acess&oacute;rios e sugest&otilde;es. “O legal &eacute; que voc&ecirc; pode entender os produtos, manuse&aacute;-los. Testo tudo, especialmente instrumentos de som, e aproveito pra visualizar algumas coisas sem pressa, j&aacute; que adoro que os consultores me expliquem alguns detalhes”, observa o auxiliar administrativo Gustavo Cavalheiro. H&aacute; consenso entre os frequentadores de que a intensa programa&ccedil;&atilde;o cultural das megalivrarias &eacute; fator de atra&ccedil;&atilde;o e reten&ccedil;&atilde;o.</p>

<ul>

<li>[Clouds] Google Drive, Dropbox, Crashplan, BackBlaze, Carbonite</li>

<li>Crie promo&ccedil;&otilde;es exclusivas</li>

<li>Neg&oacute;cios altamente lucrativos na web</li>

<li>13/06/2018 06h29 Atualizado 13/06/2018 11h21</li>

</ul>

<p>“J&aacute; na inaugura&ccedil;&atilde;o da unidade Galleria Shopping da Livraria da Vila, que agregou uma s&eacute;rie de eventos, percebemos essa car&ecirc;ncia e notamos que seria relevante manter uma agenda frequente de atividades, mas sem perder nosso quest&atilde;o, que &eacute; a literatura. A proximidade do p&uacute;blico com escritores e artistas propicia uma experi&ecirc;ncia diversa, que vai muito al&eacute;m da compra. A ideia &eacute; que o comprador se sinta &agrave; vontade para pesquisar o mix de produtos, tomar um caf&eacute; e participar da programa&ccedil;&atilde;o. Se n&atilde;o quiser fazer nada, tudo bem tamb&eacute;m”, anuncia o coordenador de marketing da livraria, Rafael Seibel.</p>

<p>O audit&oacute;rio da loja, pra oitenta pessoas, de imediato amparou edi&ccedil;&otilde;es especiais do Caf&eacute; Filos&oacute;fico CPFL, bate-papos, apresenta&ccedil;&otilde;es de stand up comedy e temporadas teatrais de curta dura&ccedil;&atilde;o. E, tal acontece nas livrarias “concorrentes”, existe um espa&ccedil;o l&uacute;dico dedicado ao p&uacute;blico infanto-juvenil. “As criancinhas ganharam muito e, de quebra, os pais assim como. H&aacute; conta&ccedil;&atilde;o de hist&oacute;rias e poesia e elas sabem direitinho o que querem. Penoso para os adultos &eacute; resistir &agrave;s tenta&ccedil;&otilde;es.</p>

<p>Eu mesma vim procurar um livro e acabei me interessando por v&aacute;rios outros”, confessa A Intercomunica&ccedil;&atilde;o Corporativa Mudou Completamente . “Meus filhos assim como neste instante fizeram das grandes livrarias daqui paradas obrigat&oacute;rias, o que acho bastante saud&aacute;vel. A pluralidade de obras infanto-juvenis aumentou bastante”, diz o psic&oacute;logo Felipe Macedo, da cidade mineira Santa Rita do Sapuca&iacute;.</p>

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License